quarta-feira, dezembro 09, 2009

Despudor

Constatei hoje que a cambada de virgens ofendidas que lidera o Sindicato dos Magistrados do Ministério Público publicou no seu site aquela peça rancorosa de Vasco Graça Moura que insulta o povo português por ter escolhido Sócrates nas últimas legislativas.
Quem se insurge por um qualquer "dá cá aquela palha" constituir uma intolerável intromissão dos políticos na justiça, não sentirá um mínimo desconforto nesta despudorada intromissão da justiça na política?
Não estou perplexo. Estou indignado!

7 comentários:

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

É o Palma escondido com o Vasco de fora...

MFerrer disse...

Só aqui cheguei via o nosso amigo Val que tanto faz por manter a massa cinzenta em funcionamento.
Primeiro, agradeço a surpreza da recomendação do meu modestíssimo Homem ao Mar.
Destinção que me sinto obrigado a rtetribuir!
Depois, posso manifestar também o meu apoio ao Conde de Abranhos cujo pensamento político-patriótico, tanto contribuiu para a verticalidade dos servidores públicos maxime, a magistratura, cuja probidade e sentido cívicos nunca será demais encarecer...

Anónimo disse...

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público pelo jeito quererá estar à altura do Vasco do Lamaçal ?
Triste Justiça vai por este País fora. O que vale é que ainda muita gente de bem há gente de bem que não alinha no nojo. J.Júnior

Francisco Clamote disse...

Comungo da indignação, pois o caso não é para menos. Uma vergonha !

Anónimo disse...

Este site é falso! o verdadeiro é: http://www.smmp.pt/

Á piadinha vai ficar "caro" ao respectivo autor, o sindicato já deve ter accionado os respectivos mecanismos judiciais e atendendo à entidade em apreço, certamente não vai ficar na "prateleira"!

oscar carvalho disse...

Caro Anónimo,
Pois lamento informá-lo que o site não é falso.É exactamente o mesmo que fez o favor de indicar; se quiser confirmar faça o favor de entrar no endereço que referiu, depois entre em Imprensa, e ande meia-dúzia de páginas para trás até ao dia 2 de Dezembro.
Você acaba de me dar razão na indignação ao opinar que a inclusão deste artigo só poderia advir de um falsário merecedor da perseguição judicial. Obrigado pelo contributo.

Bettencourt de Lima disse...

absorções

sexta-feira, 11 de Dezembro de 2009
E, agarrado, ao balão, subiu aos céus.
Vasco pousou o jornal em cima da mesa e chamou o mordomo. «Edmundo» disse «traz-me um chá...preto». Não houve resposta. «Edmundo» chamou novamente elevando a voz. Silêncio. «Edmundo...» berrou, « mas que raio !!» disse, erguendo-se da cadeira. Quando chegou à copa viu o mordomo sentado com os ombros descaídos e as mãos penduradas ao longo do corpo. No chão estava o DN aberto num artigo de opinião - A porcaria. «Senhor», disse Edmundo «como foi possível escrever isto...? O senhor não é assim». E continuou lacrimejando, «eu sempre pensei que aquela porcaria que traduziu lhe ia fazer mal!» «Fazer mal?» tartamudeou Vasco. «Sim» respondeu Edmundo e continuou, «aquela dos infernos, aquilo é só horror, torturas e sangue vertido, e...eu...eu...sempre pensei que lhe ia fazer mal». Vasco ficou atónito. Como explicar a obra prima de Dante? Oh Deus, como era difícil ter de conviver com tanta alma simples. Populares...cogitou. E o lábio superior arqueou num trejeito irreprimível.